Aquarela digital – teste

Fiz um pequeno teste de aquarela digital com o Photoshop. A ideia era deixar o mais parecido possível com um trabalho feito em aquarela real. Não sei se convence os experts, mas se aproxima bastante do original.

Para isso, criei dois arquivos-modelo com para simular dois dos papéis de aquarela mais usados: o Fabriano 50% Cotton e o Arches 50%, ambos de 300g/m². Escaneei o papel, mas antes, usei um lápis macio pra evidenciar a textura.
No Photoshop coloquei a imagem da textura  numa camada superior e deixei no modo soft light a 100% de opacidade. Abaixo dela uma camada no modo multiply onde faço as cores básicas. E acima dela, uma outra no modo multiply a 50%, onde faço as sombras. Aqui se for necessário imitar várias aguadas secas sobrepostas, eu posso duplicar essa última camada a vontade. Numa outra camada acima [multiply 100%], faço os traços do contorno [se forem necessários]. As camadas ficaram assim:

Para não depender de efeitos dos pincéis, eu criei alguns efeitos de camadas para simular a aglutinação do pigmento na borda da pincelada.  Com esse ajustes:

Aquecimento

Gosto sempre de aquecer antes de começar a desenhar.
Fazer alguns esboços rápidos em uma folha antes de realmente iniciar uma sessão de desenho. Com o tempo vi que isso realmente ajuda. Você aguça a percepção. É como se os músculos da criatividade e da percepção ficassem alertas, aquecidos.
Hoje comecei com um desenho simples duma modelo do Gesture Drawing, site muito bom, onde vc escolhe fotos de modelos e o tempo de exposição.

Depois de fazer um esboço rápido, acabei redesenhando a tetuda. Dessa vez usando lápis 2H, 2B e 7B.

Uma pilha de crianças

Esse é um dos mais recentes trabalhos. Uma ilustração para uma camisa institucional do Colégio Cristão do Recife.
A ideia era fazer uma camisa com algumas crianças interagindo com a marca do colégio. E durante a conversa com o coordenador, já me foi surgindo a ideia: uma pilha de crianças como se estivessem dando o ajuste final na colocação da marca do colégio no peito do lado esquerdo. Então, como o prazo era apertadíssimo, não havia como investir tempo em outros insights. Fiz um esboço no meu sketchbook para ter noção de como ficaria a configuração visual da camisa:

 

É nessas horas que se sente o valor de fazer thumbnails. Antes de qualquer coisa, sem se perder em detalhes, você começa “modelando“ a ideia; e até certo ponto, você vai apresentando a você mesmo o que pode ser a ideia e o que pode mudar. É uma fase de descobrimento, como se seu lado Inconsciente estivesse apresentando o projeto pro seu Consciente. Então, vendo e analisando o que vc tem, vem a fase mais racional:

 

Uma mudança aqui, uma ali. Uma cor para balancear o layout, uma inclinação pra cá e a coisa vai sendo modelada em sua cabeça. Depois um esboço mais refinado:

 

Aqui uma composição para que o cliente visualizasse como ficaria a camisa:

 

E finalmente a fase de acabamento. O esboço foi escaneado e eu redesenhei tudo em vetores no illustrator para ter linhas precisa e cores chapadas:

 

Próxima fase: pintura e acabamento no  photoshop. Eu usei um pincel texturizado para fazer luzes e sombras, acrescentar detalhes, refazer algumas linhas, etc. O objetivo é tirar aquela “cara de computador“:

 

E finalmente… Voiláááá:

Eu espero que tenham gostado do post.
Sempre que puder vou fazer alguns desses.

Amplexos.

A emoção do produto na prateleira

Olá, pessoal! Eu mencionei algumas vezes como é bom achar trabalhos seus em embalagens e livros.

Aqui vai uma amostra de como ficou a embalagem para qual fiz estas ilustrações.

Parabéns ao pessoal da Perman Design que mais uma vez mandou bem na produção da embalagem. É muito legal mesmo.

E mais os biscoitos são ótimos. Minha esposa fala que eu só compro por causa do desenho… será??

Workshop

Atenção!!

Chamada geral. Quer fazer seu processo fluir? Não, não me pergunte como.
Entre em contato com o Felipe “Pancho“ Carvalho e garanta sua vaga.

Nós estaremos lá.

Dia e noite


Digital: vetor e pintura.

Para essa ilustração primeiro eu fiz alguns estudos pois precisava mostar em duas páginas o passar do dia, do nascer ao por-do-sol e a noite.

Uma vez definido o layout da página, eu fiz a base da ilustração em vetor. Para as árvores eu desenhei 3 ou 4 tipo e usei o spray de símbolos do illustrator, ajustei a posição delas, o tamanho e depois exportei como imagem e pintei no photoshop, usando um brush de giz.

0040

E agora o passo-a-passo tão falado:

Esboço a lápis

Cores no photoshop:

Vetores para criar áreas de cores sólidas:

Pinturas de luzes, sombras e reflexos no phostoshop:

Acabamento final:

^^